segunda-feira, 4 de novembro de 2013

uma cena do cine do real


em frente ao galpão de compra e venda de papeis para reciclagem
tem umas barracas“os” improvisada(o)s, onde parece comum que algumas das pessoas que recolhem esse tipo de material espalhado pela parte pública da cidade, passem ali a noite para bem cedo trocarem o conteúdo vertical dos papeis amassados de seus carrinhos por outros pedacinhos de papel que valem o $ que está neles escrito.

o galpão é esquinado por avenidas. uma tem o arrudas canalizado. 
e em parte da outra começa e passa acima dela própria um viaduto, onde, embaixo dele e em frente ao galpão, tem mais algumas poucas  barracas“os” improvisada(o)s.
e é nesse lugar, embaixo do viaduto e em frente ao galpão que o nosso ônibus parou obediente ao vermelho do semáforo.
e vimos:
que ali em meio a aqueles papeis fardos carros de madeira barracas”os” tinha duas mulheres já bem vividas duas donas marias  vivendo um momento especial; elas se abraçavam, se beijavam sorriam corriam por ali se tropeçando se esbarrando e retornavam aos  abraços e beijos com gritinhos e sorrisos felizes prenunciando uma noite feliz, uma madrugada feliz um tempo feliz reciclando sentimentos e por que não, nos envolvendo numa reciclagem,
embora para elas talvez nem existisse aquele coletivo iluminado/iluminando-as
ali parado esperando uma luz verde
pra então seguir seu itinerário...

Nenhum comentário: