sábado, 23 de maio de 2009

boa noite

a noite me pede um poema/ um pequeno pedágio/ para que eu possa/ ir dormir/ nela// entro/ calmo amarelo/ incandescente/ rumo ao seu infinito escuro/ dou a ela essas palavras/ lhe digo e peço// vai bem / leva contigo esses versos/ e talvez serenada/ me acalenta com eles/

Um comentário:

alessandro alex disse...

Cada vez mais sensacional o "papel elétrico" Abração Gilberto !
AA. (Esquerdinha-Barra Mansa-RJ.)